Poesia em Curso ou a Outra Margem ou Luz Letras


 

A Cigana
Guillaume Apollinaire

(26 août 1880, Rome - 09 novembre 1918, Paris)

 

Tradução: Rafael Puertas de Miranda


A velha cigana sabia, antes,
de nossas duas vidas condenadas pela noite.
Dissemos-lhe adeus
E, a nossa maneira, queríamos provar seus erros.

O amor, pesado como um urso lerdo,
bailou de pé, quando lhe ordenamos.
E o pássaro azul perdeu suas plumas, 
e os mendigos, suas súplicas.

Sabemos muito bem que nos condenamos,
mas a esperança perdida pelo caminho
nos faz pensar, mãos entrelaçadas,
no que a cigana havia dito.

(Mogi das Cruzes, 12 de Abril de 2007 - Outono)
 


Rafael Puertas de Miranda - Poeta - Mogi das Cruzes - SP



Escrito por Rafael às 17h20
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Histórico


Categorias
Todas as mensagens Citação



Votação
Dê uma nota para
meu blog



Outros sites
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis
 Crítica Literária